Como_devo_gerenciar_os_passivos_trabalhistas_da_empresa.jpg.jpeg

Como devo gerenciar os passivos trabalhistas da empresa?

No atual cenário econômico brasileiro, em que as empresas lutam dia a dia para manter os seus resultados, os passivos trabalhistas podem gerar grandes impactos no planejamento estratégico das organizações. Por isso, é absolutamente imprescindível procurar formas alternativas para identificar e gerenciar passivos com o objetivo de reduzir os impactos financeiros para a o seu negócio.

Quer saber como gerenciar os passivos trabalhistas da empresa? Não sabe por onde começar? Então continue lendo esse artigo e saiba todos os detalhes.

A importância de gerenciar os passivos trabalhistas da empresa

Com processos de crises e instabilidade, transformações econômicas, sociais e políticas do Brasil, fazer o gerenciamento dos passivos trabalhistas se tornou uma necessidade essencial para qualquer empresa que deseja se manter ativa, competitiva dentro do mercado e com as suas contas no azul. O momento de planejar o futuro dos seus negócios não é amanhã, mas sim agora.

Para os gestores e donos de negócios, a busca de soluções na hora de gerenciar os passivos trabalhistas da empresa é cada vez mais necessária para conseguir atingir as suas metas de desempenho e crescimento, além de manter o faturamento. E, para isso, muitos empresários estão optando por cortes cada vez maiores no orçamento. Esse é o caminho mais sensato e adequado enquanto a economia não volta a crescer.

Porém, fazer o corte de custos não é uma tarefa simples, especialmente quando há demissões envolvidas, onde um desligamento mal planejado pode resultar em um risco financeiro. Também não podemos esquecer das regras aplicadas nos cálculos dos funcionários ativos que geram folha de pagamento em desacordo com a legislação vigente.

Por isso, gerenciar ativos trabalhistas tem se tornado um desafio cada vez maior para as organizações, seja pelo custo das ações trabalhistas (coletivas ou individuais), especialmente quando envolvem problemas de doenças ocupacionais, adicionais de periculosidade e insalubridade, acidentes de trabalho, processos trabalhistas, entre vários outros, podendo gerar um grande desequilíbrio financeiro, principalmente quando se leva em conta os honorários advocatícios e despesas administrativas.

5 dicas para fazer uma boa gestão dos passivos trabalhistas da sua empresa

1 – Acompanhar o fluxo de passivos trabalhistas

Para fazer uma boa gestão de passivos trabalhistas é importante controlar de perto os processos judiciais da organização, especialmente aqueles que já se encontram em fase de execução. É uma boa prática a ser adotada, de forma a mensurar de uma maneira correta e efetiva quais serão os gastos necessários para o pagamento de cada execução trabalhista, independentemente da sua natureza.

Acompanhar e automatizar o fluxo de trabalho permite ao responsável fazer o cadastro e monitoramento dos processos, o que torna possível até mesmo a antecipação de valores no caso de acordos, antes mesmo que a empresa seja citada judicialmente, o que torna as negociações mais simples e rápidas para a organização, além de o custo com passivos trabalhistas ser menos oneroso e a resolução mais efetiva.

2 – Fazer uma gestão de riscos

Pode não ser uma das tarefas mais interessantes para o gestor, mas fazer a gestão de riscos, especialmente os que envolvem problemas trabalhistas, deve se tornar uma rotina. É importante também saber todos os detalhes acerca da legislação sobre o assunto e normas de sindicatos para se manter atualizado e saber como agir da forma mais correta possível quando surgir qualquer tipo de passivo trabalhista.

Além de reduzir custos, a gestão de passivos trabalhistas ajuda a otimizar processos, criar novas soluções e mediar acordos. Isso auxilia a empresa quando ela precisa lidar com processos de forma mais adequada, o que contribui bastante para o desempenho e a eficiência dentro do negócio. Por isso, fazer a gestão de riscos é algo fundamental.

Anuncio meio artigo 600x200

3 – Revisar a provisão dos passivos trabalhistas

Fazer a correta provisão dos passivos trabalhistas torna os valores mais realistas e garante que os valores previstos na gestão de riscos fiquem mais próximos possíveis daqueles efetivamente devidos. Por isso, é preciso fazer os cálculos dos passivos conforme as regras de cada pleito, de forma individual e bem organizada, deixando de acordo também a folha de pagamento.

Para que a provisão dos passivos trabalhistas seja realizada da melhor forma possível é importante que a empresa mantenha todos os dados atualizados sobre os seus funcionários, o histórico de cada um. Se houver qualquer problema, o responsável irá saber todos os detalhes acerca do colaborador e isso pode ajudar muito na hora de fazer negociações e acordos em casos de problemas e/ou discrepâncias trabalhistas, trazendo uma maior agilidade aos processos e resolvendo pleitos muitas vezes sem a necessidade de intervenção judicial.

4 – Investir em parcerias especializadas

A organização que deseja gerenciar melhor os passivos trabalhistas pode investir em empresas parceiras que façam Business Process Outsourcing (BPO), de forma a baixar custos com tarefas adjacentes, que não são relacionadas ao negócio central da empresa.

Dessa forma, a organização passa a execução de processos e todos os assuntos relacionados aos passivos trabalhistas diretamente para a empresa parceira, terceirizando o processo, já que ela dispõe de profissionais especializados na resolução de problemas e na automatização de processos (como o cálculo de rescisões trabalhistas e folha de pagamento, por exemplo).

Contar com uma empresa parceira para gerenciar os ativos trabalhistas do seu negócio faz com que você ganhe tempo e não perca o foco, nem produtividade, uma vez que os problemas com passivos ficam delegados a outra empresa confiável e que vai solucionar a questão de forma mais eficaz.

5 – Conscientizar

Todas as empresas precisam compreender que fazer a correta gestão dos passivos trabalhistas é um processo importante e que requer, inclusive, uma auditoria especializada acerca de riscos ocupacionais, verificação das instalações de trabalho e de equipamentos de segurança, além de fazer o devido cumprimento de suas obrigações previdenciárias e trabalhistas.

Quando os passivos trabalhistas são bem gerenciados, os custos operacionais são reduzidos e a empresa evita processos trabalhistas e problemas com acidentes de trabalho, que podem ser evitados por meio de uma auditoria bem realizada. Dessa forma, empregados e empregadores podem trabalhar com mais tranquilidade e a organização não perde o seu fôlego.

Gostou do artigo? Percebeu como a gestão dos passivos trabalhistas é importante? Então acompanhe também as informações sobre o eSocial e fique atento a adequação da sua empresa a este projeto do governo federal.

Deixe uma resposta