3 motivos para avaliar o ROI na compra de softwares
Metadados

3 motivos para avaliar o ROI na compra de softwares

É instintivo. Sempre que compramos um produto, por mais simples e barato que seja, procuramos informações sobre ele. A intenção, ainda que subjetiva, é saber se o investimento valerá a pena, se teremos vantagens ou não em adquirir o produto e qual o retorno que ele nos trará. Isso tudo é perfeitamente compreensível, não é mesmo? Afinal, ninguém gosta de jogar dinheiro no lixo.

Em uma empresa, esse comportamento também é natural. Quando se identifica que é preciso investir na compra de algo específico, um software, por exemplo, é preciso fazer vários orçamentos, pesquisas de mercado e de qualidade, até encontrar o que melhor se encaixa na necessidade da empresa. Ou seja, a empresa também avalia o custo, o benefício e o retorno. Mas, para as corporações, existe uma ferramenta chamada Retorno Sobre o Investimento (ROI), uma sigla oriunda do inglês que significa Return On Investment, que auxilia o processo.

O ROI pode ser medido por períodos para a recuperação de um investimento, como um percentual de retorno em relação a uma despesa de caixa ou, ainda, como o valor presente líquido descontado dos fluxos do caixa livre de uma aplicação de capital.

Nesse sentido, o ROI tem sido uma ferramenta muito importante para o setor financeiro das empresas, principalmente quando precisa concretizar a compra de um produto, já que por meio do ROI é possível justificar os investimentos e vislumbrar os retornos futuros.

Você, gestor financeiro da empresa, está precisando qualificar sua gestão e pensa em comprar um software, mas para isso precisa justificar à sua direção? Descubra, neste post, como o ROI pode te ajudar nisso! Boa leitura!

Retorno Sobre o Investimento (ROI)

Certamente, o Retorno sobre o Investimento (ROI) está entre os mais importantes indicativos econômicos relacionados ao mundo dos negócios. É uma ferramenta muito comum na análise de investimentos, sendo utilizado principalmente para identificar retornos financeiros.

A métrica do ROI pode mostrar, por meio de uma taxa de retorno, quanto o investidor/comprador ganhou ou perdeu em relação ao valor aplicado em um determinado investimento. Ou seja, o ROI serve como um parâmetro para analisar o retorno sobre qualquer tipo de investimento, seja ele de um sistema tecnológico, uma campanha de marketing, uma máquina, uma nova ferramenta de gestão, entre outros.

Calcular o ROI é uma atividade que os investidores costumam fazer para dar andamento ao processo de investimento. O mesmo é aconselhado para os gestores financeiros de empresas, sejam elas de pequeno, médio ou de grande porte. Só o ROI dará subsídios aos gestores para validar a compra ou não.

Em linhas gerais, podemos afirmar que o ROI é uma ferramenta indispensável para a gestão, pois é capaz de:

  • Potencializar o aumento nos retornos e nos lucros;
  • Identificar o prazo de retorno de cada investimento, assim como a curva de resposta;
  • Avaliar a forma como os investimentos contribuirão para o retorno dos resultados;
  • Planejar metas com base nos resultados atingíveis;
  • Garantir um processo de tomada de decisões mais claro e objetivo.

Quais as vantagens de avaliar na minha empresa?

Bem, já pudemos perceber que avaliar o ROI para o investimento de qualquer produto na empresa é a melhor maneira de saber se ele trará os melhores resultados. Mas, como fazer isso na empresa? É simples! Confira alguns motivos que provam que você precisa avaliar o ROI para a compra de um novo software de gestão de pessoas, por exemplo.

1. Conhecimento dos resultados

Diversas questões precisam ser analisadas, especialmente quando o gerente financeiro é o responsável pela compra de um novo software de gestão. Além do custo, obviamente, é preciso ter o conhecimento dos reais resultados que ele trará para toda a empresa. Para isso, o ROI será sua principal ferramenta.

No primeiro momento, será preciso constatar, com a ajuda dos profissionais de Recursos Humanos, quais os processos que poderão deixar de ser tão burocráticos e demorados, e passarão a ser automatizados. Normalmente, eventos como a folha de pagamento, o controle de férias, os vencimentos e a segurança do trabalho são mais trabalhosos e costumam ser feitos em planilhas. Assim, esses seriam alguns dos processos que poderiam ser automatizados com a compra de um software.

No segundo momento, será necessário calcular quantos colaboradores precisam ser deslocados para executar essas tarefas, seja diariamente, semanalmente ou mensalmente. Além disso, é necessário averiguar quantas horas cada um deles leva para concluir cada tarefa e quanto isso está custando para a empresa.

Fica claro nesses primeiros passos que o levantamento das informações deve ser feito com muito cuidado. Os dados devem ser reais e estar de acordo com a realidade da empresa.

Após concluir o levantamento dessas informações, será preciso confrontar os dados entre o investimento e todas as vantagens que um software de gestão de pessoas oferece, e as atuais situações da corporação.

Certamente, o lucro benefício será muito maior ao adquirir uma ferramenta que torne a maioria dos processos manuais automatizados. E, se o gestor financeiro observar que sim, outras vantagens poderão ser percebidas a curto prazo. Confira!

meio artigo

2. RH mais estratégico e menos operacional

Quando a avaliação do ROI indicar que a utilização de um software para a gestão de pessoas é mais lucrativa para a empresa do que manter os processos manuais, o gestor perceberá que o setor que até então realizava essas tarefas se tornará muito mais estratégico.

Explicamos: o que ocorre na maioria das empresas que ainda não contam com o auxílio de um software, é a operacionalização de todas as tarefas, isto é, os profissionais precisam baixar a cabeça, lançar informações e conferir planilhas. Isso torna os processos muito burocráticos e os profissionais muito operacionais. Esse tipo de processo, além de ser ultrapassado, não permite que o profissional pense estrategicamente, que crie alternativas, que inove, pois ele está engessado.

Possuir um RH estratégico qualifica a gestão como um todo, agrega valores à empresa e tem foco no resultado e não apenas no processo.

3. Informações e processos integrados

Uma das principais vantagens de um software de gestão de pessoas é a possibilidade de ter as informações e todos os processos integrados, ou seja, poder consultá-los sempre que houver a necessidade. Além disso, a busca é facilitada, ágil e permite comparar dados e relatórios em tempo real.

Essa integração minimiza o tempo e os erros das operações dos atendimentos do RH, qualificando ainda mais o processo.

Tudo isso só poderá ser observado quando o gestor responsável pela compra do novo produto avaliar o ROI e constatar a melhor alternativa.

E então, gostou do nosso artigo? Confira aqui outras vantagens que um software de gestão de pessoas poderá levar à sua empresa.