Comissões e seus reflexos em médias: como ter sucesso nos resultados?

Indicamos a solução para você iniciar agora!

A área de Recursos Humanos possui um papel estratégico nas corporações, sendo a responsável por dar sustentação aos planos e estratégias da companhia na gestão do seu principal recurso: as pessoas. Para isso, o profissional de RH precisa — além de se desenvolver suas habilidades e competências — do apoio da gestão para buscar novas soluções.

Contudo, nem sempre é assim. A realidade de muitas corporações são profissionais sobrecarregados e ainda realizando suas atividades de forma totalmente manual e analógica, com grande probabilidade de erros e retrabalhos.

Um exemplo vem do setor varejista, que tem investido muito tempo em processos analógicos que já poderiam ser digitais. Para que você possa identificar alguns problemas do segmento que já têm solução, nós, da Metadados — empresa especialista em Sistema para a gestão de RH — detalhamos tudo a seguir. Confira!

O RH no varejo

Inquestionavelmente, o setor varejista parece estar um pouco “atrasado” para se adaptar à transformação digital e utilizar a tecnologia como aliada. Os dirigentes de empresas deste setor ainda veem o RH como mera pagadoria, e não como um parceiro de negócios que está engajado com as estratégias da empresa.

Neste cenário, o profissional de RH do setor varejista fica sobrecarregado e sem tempo para propor e realizar mudanças na área. Por vezes, está acomodado nesta situação e nem enxerga quanto tempo perde nas execuções e no retrabalho das atividades diárias. Dentre os principais desafios do setor que precisam ser geridos pelo RH está a apuração e conferência das médias do comissionamento de vendas sobre as férias, 13º salário, aviso-prévio, entre outros. Você conhece ou vive essa realidade na sua empresa? Então entenda mais!

Apuração das médias do comissionamento

A folha de pagamento é um documento com informações da remuneração do colaborador, de obrigatoriedade da empresa que contém todos os dados legais, cumprindo uma função operacional, contábil e fiscal. A elaboração do cálculo da folha é uma obrigação legal das corporações que contratam por meio da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

Ela é uma vantagem para a empresa que pode acompanhar os investimentos mensais em pessoal e também ao colaborador, que recebe um espelho da renda, passando a ter conhecimento de todos vencimentos e descontos realizados durante o mês.

Por ser tão abrangente, o processo da folha de pagamento pode parecer complexo e ainda gera muitas dúvidas, inclusive para o profissional de RH, responsável pelo seu fechamento. No setor varejista, este processo pode se tornar ainda mais penoso, visto que é preciso lançar na folha o cálculo do comissionamento de vendas do colaborador, isto é, a comissão e/ou gratificação, que são pagas mensalmente em folha para o funcionário.

Em suma: a comissão no varejo é uma recompensa dada aos funcionários como uma retribuição às vendas feitas. Ela normalmente é uma recompensa financeira, medida por uma percentagem das vendas. Seu objetivo é estimular a equipe a ter uma performance cada vez melhor por meio da valorização do bom trabalho. Ao definir desta forma, parece algo simples, mas, definitivamente, não é.

Em uma concessionária por exemplo, quando é realizada a venda de um veículo, a comissão é paga para o vendedor, para o mecânico, que faz a troca de peças e manutenção do veículo, para a parte administrativa, que realiza o agendamento da revisão do veículo e, inclusive, para o funcionário que realizou a limpeza do veículo. Cada profissional recebe de acordo com sua função, ou seja, os percentuais são diferentes. Isso sem contar outras variáveis que alteram o cálculo do comissionamento, como, por exemplo, faixa de preço do veículo, faixa salarial dos funcionários, piso salarial, se o veículo era novo ou usado, se as peças eram novas ou usadas, etc.

Ou seja: cada empresa possui suas regras para este cálculo e, cada cargo também demanda suas próprias regras, além das regras aplicáveis conforme outras inúmeras variáveis. Já imaginou realizar todo esse processo sem automatização?

Em uma concessionária de 300 funcionários, o RH pode levar muito tempo para conferir as médias do comissionamento de vendas sobre as férias, 13º salário, aviso-prévio, entre outros;mesmo utilizando calculadoras e planilhas. Um tempo enorme em que o profissional está voltado somente para esta função, sem poder se dedicar para outras demandas da área, como, por exemplo, a captação e desenvolvimento de talentos, o estudo de análise de indicadores da área, para propor ações de melhoria, entre tantas outras possibilidades.

Outro problema que pode ser ocasionado pela falta de automatização neste processo é a ausência de assertividade e confiabilidade nos resultados dos cálculos, o que pode virar uma bola de neve e gerar outras inseguranças, como, por exemplo, pagamentos equivocados (com valores incorretos para mais ou para menos) e retrabalho (envolvendo financeiro, contábil e recálculo da folha).

Eficiência na apuração das médias do comissionamento

Um Sistema de RH que realize estes cálculos de forma automatizada é fundamental para evitar estes e outros erros gravíssimos. Quando a empresa possui um bom Sistema de RH, a importação dos registros para a base da folha acontece de forma automática, sem necessidade de digitação ou conferências minuciosas que gastam tempo e energia.

Além disso, essa automatização gera assertividade, segurança no cálculo, na tributação e contabilização do pagamento e em todas as etapas do eSocial, desde a preparação e conferência, até os envios e retornos.

Outra vantagem do uso de um Sistema de RH automatizado está na descentralização dos processos da área de Recursos Humanos. Isto porque, por meio de um aplicativo do Sistema, o funcionário pode ter acesso direto ao seu recibo da folha de pagamento, além de conseguir realizar a abertura de solicitações como férias, reajuste salarial, troca de horários e escalas de treinamento, entre muitos outros.

Essa descentralização, além de facilitar o trabalho do RH, deixando mais tempo para que o profissional se dedique a outras demandas, aproxima os funcionários de outras unidades de forma simplificada e com baixo custo, uma vez que não há a necessidade de eles se deslocarem até a matriz.

Automatizar um processo analógico que precisa de 100% de assertividade, que demanda muito tempo da equipe, que poderia estar dedicada a propor melhorias para toda a empresa, não é gasto, mas um investimento.

Quer saber mais sobre automação dos processos? Então acesse o Guia que fizemos com exclusividade para você!