Jornada de trabalho remoto: 3 problemas do controle que já têm solução
Metadados

Jornada de trabalho remoto: 3 problemas do controle que já têm solução

Um dos grandes desafios de empresas que possuem colaboradores exercendo seus trabalhos externos é o controle da jornada de trabalho. Afinal de contas, é praticamente impossível (economicamente) instalar um equipamento de ponto eletrônico em cada espaço físico em que o profissional esteja.

A execução das tarefas a distância é uma atividade comum em diversos segmentos, mas principalmente na construção civil, transportes, vendas, logística e segurança. Caminhoneiros, pedreiros, zeladores, pintores, normalmente executam suas atividades em locais diferentes ao longo da semana e até do dia.

Então, a empresa e/ou o empregador que, de acordo com o segundo parágrafo do artigo 74 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), têm a obrigação de fiscalizar o registro, acabam realizando essa obrigatoriedade sem segurança, em planilhas ou em papeletas, de forma manual. Essa forma de gerência é obsoleta e apresenta riscos reais de ações trabalhistas à empresa.

Obtendo os dados dos registros dias após a marcação, a empresa sofre grandes impactos, pois não pode controlar se seu colaborador está cumprindo a jornada de trabalho, se está realizando horas extras, as pausas corretas para almoço e descansos, o que aumenta os passivos trabalhistas e engessa a gestão, podendo levar a empresa por um caminho sem volta.

Você é profissional de Recursos Humanos, gerente, diretor ou proprietário de empresas de transportes e esta é uma realidade na sua corporação? Saiba que já existe uma solução totalmente viável, segura e eficaz para que os passivos trabalhistas sejam evitados e vocês possam se sentir seguros. Acompanhe mais no artigo produzido pela Metadados – empresa que desenvolve sistemas para a gestão de RH!

Os controles atuais

Atualmente, a maioria das empresas de transportes utiliza um sistema chamado telemetria para o controle da sua frota, isto é, uma espécie de rastreador dos veículos. A telemetria é capaz de comandar, medir e rastrear os veículos de forma remota. Assim, por meio de uma comunicação sem fio, por sinais de rádio ou satélite, é possível acompanhar a localização do veículo.

Esse equipamento, instalado em cada veículo, coleta as informações e as transmite para uma central que tem como função decodificar os dados e apresentar os dados às pessoas responsáveis pela frota.

Certamente, esse sistema possa ser muito útil para o efetivo controle dos veículos da frota. Mas, apenas dos veículos. Com ele, o gestor de Recursos Humanos não tem como averiguar o ponto do motorista, por exemplo. Não é possível saber as informações pertinentes ao profissional, somente do veículo.

Outra maneira muito comum de controle é o manual, em que o profissional recebe uma tabela em uma papeleta e preenche seus horários ao longo dos dias. Quando retorna da viagem, o entrega assinado ao setor de RH. Então, fica a dúvida: como ter segurança de que os horários indicados foram cumpridos? Como sei que diariamente o profissional lembrou-se de preencher corretamente? É muita incerteza! Sendo estes, um dos pontos mais evidentes de passivos trabalhistas.

Para que tudo isso seja suprido, já existem soluções para os três principais problemas do controle da jornada de trabalho remoto. Veja todos eles e esclareça essas questões na sua corporação.

1. Dificuldade ao acesso imediato às informações

O principal problema desses controles atuais é a dificuldade ao acesso imediato às informações, pois como o profissional permanece em deslocamento por alguns dias, semanas ou até meses, torna-se muito difícil ter acesso às marcações.

Assim, as empresas acabam trabalhando com dados retroativos, realizam pagamentos e, muitas vezes, precisam recalcular a folha para o pagamento de horas extras que não tinham conhecimento até o fechamento do documento.

Além disso, o gestor fica impossibilitado de acompanhar em tempo real outras informações referentes ao colaborador, como o cumprimento da jornada, dos intervalos, período de descanso, entre outros.

Todas essas informações de repouso, são de responsabilidade do empregador, conforme preveem os artigos 66, 67 e 71 da CLT. Além do mais, para motoristas profissionais, há a Lei 13.103/2015 que especifica outras providências à categoria.

2. Aumento dos passivos trabalhistas

 O segundo maior problema que impacta em empresas do segmento de transportes é o aumento de passivos trabalhistas. E isso não é uma surpresa, afinal, com controles defasados, como manuais, é evidente que haja um aumento significativo dos passivos trabalhistas e de ações judiciais, como consequência.

Sem uma ferramenta adequada para esse controle, não há outra alternativa a não ser contar com a sorte.

3. Prejudica as tomadas de decisões

O atraso e o aumento dos passivos trabalhistas acabam prejudicando as tomadas de decisões dos gestores da empresa. Assim, há um engessamento e a corporação fica perdida, sem rumo. O resultado disso é a falta de indicadores confiáveis e, logicamente, a estagnação do seu crescimento.

Solução: MOB Metadados

Para todos esses problemas de controle da jornada de trabalho remoto, existe uma única e eficaz solução: o MOB Metadados – Aplicativo mobile para a marcação do ponto, também conhecido como ponto certificado. Ele é um relógio de ponto que possui duas formas de processamento: web ou mobile. Ou seja, ele é portátil e pode ser instalado no celular do colaborador ou em acesso via internet.

Desta forma, o aplicativo coleta, carimba digitalmente e armazena as informações do profissional em uma central independente, com alto nível de segurança, inclusive jurídica. Isso porque o ponto certificado, também fornecido pela Metadados, possui certificação oficial da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP Brasil) e homologação pelo Ministério do Trabalho e Emprego, conforme preveem a Portaria 1510, de agosto de 2009 e a Portaria 373, de fevereiro de 2011.

Com armazenamento em nuvem, a plataforma elimina a necessidade de quaisquer outros sistemas de coleta ou controle de ponto, já que envia a marcação do colaborador, de qualquer lugar, automaticamente para o sistema de frequência da corporação.

Alerta ao gestor

Ainda, o MOB Metadados é capaz de enviar alertas ao gestor cadastrado para que ele possa acompanhar possíveis inconsistências no ponto, como faltas e atrasos, economizando o tempo de trabalho dos profissionais do RH e criando um histórico do fluxo de apuração.

Além disso, o aplicativo da Metadados garante fidelidade e a temporalidade de cada ponto registrado, proporcionando a segurança que o empregador tanto necessita, bem como substitui com grandes vantagens os relógios de ponto tradicionais.

Outro benefício deste sistema, é a pessoalidade. Isto é, é possível solicitar uma selfie do momento do registro do ponto, além de biometria digital, facial de voz, leitores de código de barras e crachás.

Com os dados gerados instantaneamente no sistema, colaborador e profissionais de RH também terão acesso. Essa facilidade permitirá que a empresa possa acompanhar diariamente os indicadores e tomar as decisões necessárias, no momento exato.

Entre tantas vantagens que se pode citar, estão:

  • Eliminação de relógios de ponto físico;
  • Certificação digital, garantindo a validação jurídica das marcações;
  • Armazenamento em nuvem;
  • Qualificação da eficiência da gestão de horas trabalhadas, resultando em redução de custos e rapidez no processamento da folha de pagamento;

E então, gostou do nosso conteúdo sobre o MOB Metadados? Esperamos que sim! A propósito, como você está gerenciando esses dados na sua empresa? Está cumprindo com a legislação? Realize o Quiz e veja como melhorar seus processos!