Saúde Física na Pandemia: como o RH pode incentivar os colaboradores?

Assim que você pôr em prática essas ações e incentivos na sua empresa, os resultados serão notórios. Descubra!

Agora, mais do que nunca, o nosso corpo pede uma atenção redobrada em relação a nossa saúde. A atual pandemia de Covid-19 tem gerado, além dos graves problemas através da contaminação pelo vírus, diversas inquietações, que se manifestam no nosso corpo de diferentes formas.

Neste momento delicado, o RH assume um papel importante de manter os colaboradores motivados, trilhando o caminho com a saúde física que, consequentemente, reflete na saúde mental e no engajamento da equipe.

Mas como fazer isso? Quais práticas você, profissional de Recursos Humanos, pode aplicar na sua empresa para incentivar os colaboradores a manterem esse equilíbrio tão importante?

Para ajudar você nesse assunto, nós, da Metadados – empresa que desenvolve um completo Sistema de RH — convidamos o Educador Físico e Mestre em administração, Mauricio Michelli, para orientar sobre a importância de manter o corpo em equilíbrio. A palestra, que conta com a mediação do especialista em RH e gestor comercial na Metadados, Mário Faccioni, vai fazer você sair daqui motivado, e pronto para incentivar seus colegas de trabalho. Acompanhe!

Conceitos de saúde: onde tudo começou

Na Grécia Antiga, a saúde era relacionada a providências divinas. Foi nessa época que Hipócrates, conhecido como pai da medicina, através de muitos estudos, mudou esse conceito, transformando a disciplina em ciência, que desde então, vem sofrendo constantes evoluções.

Logo depois, com o surgimento da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1948, a saúde passou a receber mais atenção e cuidados e, por isso, criaram um conceito de saúde mundial, que consiste em manter o bem-estar físico, mental e social. Este conceito atenta-se a observação de que não só as enfermidades visíveis deveriam ser tratadas como um problema de saúde.

Atualmente, a OMS traz alguns conceitos que influenciam diretamente na qualidade de vida e saúde das pessoas. Observe:

  • Renda, status social e educação: quanto mais altos, mais saudável pode-se considerar;
  • Ambiente físico: água potável, ar puro, ambiente de trabalho sadio, casa segura e comunidade bem planejada;
  • Rede de apoio social: incluindo família, amigos e comunidade;
  • Genética: influencia a expectativa de vida e o risco de desenvolvimento de determinadas doenças;
  • Gênero: homens e mulheres enfrentam riscos de saúde diferentes em diferentes fases da vida;
  • Comportamento pessoal e habilidade de enfrentar dificuldades: fumo, consumo de bebidas alcoólicas, hábitos alimentares, atividade física e forma de lidar com o estresse.

O que é Saúde Física e suas ligações com a saúde mental

Conforme vamos tomando o conhecimento, vamos entendendo que a base para o bom funcionamento do nosso corpo é o equilíbrio. O equilíbrio encontra-se nessas cinco questões:

  • Alimentação

A alimentação equilibrada não é apenas diária, como temos o costume de pensar. Ela também pode ser semanal ou até mensal.

Em algumas situações, como viagens, por exemplo, somos “obrigados” a mudar nossos hábitos. É importante procurar retornar ao equilíbrio assim que possível. Se deixarmos o nosso índice de equilíbrio aumentar, o corpo passa a se adaptar às mudanças de peso, debilitando áreas do corpo que estão fazendo muito esforço para compensar as mudanças ocorridas.

  • Sono

Dormir bem é uma das chaves para o corpo humano se manter saudável. Procure avaliar as condições do seu sono, e buscar estratégias para melhorá-lo e mantê-lo em equilíbrio. Uma boa dica são alongamentos e meditações, assim como um controle nos horários.

  • Meditação

O autoconhecimento é uma prática muito valiosa e que gera ótimos resultados. Tirar um tempo para si, respirar fundo e pensar com calma, alivia o estresse e traz inúmeros benefícios para o corpo, tanto fisicamente, quanto mentalmente.

  • Exames

Existem muitos desequilíbrios no nosso corpo, dos quais não enxergamos e desconhecemos. Por isso, procure sempre manter os exames de rotina em dia, e fazer esse acompanhamento.

  • Exercícios

É necessário para o corpo se manter em movimento, e a prática de exercícios físicos é um grande aliado. Mas vale lembrar que é de extrema importância a necessidade de fazer exames e buscar acompanhamento médico antes de começar a fazer exercícios, para manter um ritmo coerente com a capacidade do seu corpo.

Saúde Mental

A saúde mental está diretamente ligada com a saúde física. Isso se dá pela liberação de hormônios durante a prática de exercícios, e a atuação da nossa mente em medir nossos índices de satisfação. Observe:

  • Hormônios liberados com os exercícios:

Dopamina: funciona como um sistema de recompensas, quando superamos algum desafio;

Serotonina: atua na regulação de humor, diminuindo tendências de ansiedade e depressão;

Estes hormônios nos trazem a sensação de “dever cumprido” e relaxamento, e uma melhora na autoestima e confiança, trazendo inúmeros benefícios para o dia a dia.

Entenda a diferença!

Você sabe qual a diferença entre atividade, exercício e treinamento físico? A verdade é que uma coisa se liga a outra. Veja:

Atividade física é qualquer movimento feito pela musculatura, que resulta em gasto energético. Como exemplo, subir as escadas de um prédio, ou até mesmo, lavar a louça.

Já os exercícios físicos, contêm atividades físicas, mas sistematizadas, com sequência de movimentos para alcançar um objetivo. Como exemplo, subir duas vezes, quatro ou cinco andares de escadas do prédio, duas ou três vezes por semana.

E por fim, o treinamento físico, atua através da aplicação de um processo organizado e sistemático composto por exercícios físicos, em prol de um objetivo.

Sedentarismo: causas e consequências

O sedentarismo fica constituído quando a pessoa não realiza atividades que promovam um gasto energético. Não é à toa que a palavra “sedentário” origina-se do latim sedere, que significa “sentar”.

O sedentarismo é intensificado pelos hábitos da vida moderna, bem como passar a utilizar carros, escadas rolantes e elevadores e a rotina que envolve alta produtividade, porém, pouco gasto calórico.

É importante ficar atento nas consequências geradas por ele. Confira:

  • Osteoporose e a hipertensão;
  • Diabetes;
  • Agrava doenças das articulações, dos músculos e da coluna;
  • Fator de risco para a obesidade;
  • Complicações psicológicas como ansiedade e até alguns tipos de câncer;

Agora, mais do que nunca, onde muitos trabalhos estão sendo realizados por meio de home office, e consequentemente diminuímos as atividades físicas do dia a dia, devemos nos atentar na importância de manter o corpo em movimento.

Os incentivos das boas práticas de saúde física e psicológica só refletem benefícios, tanto para a organização, quanto para o colaborador. Diminui os gastos medicinais, uso do plano de saúde e também o afastamento de funcionários.

Mas como aplicar isso na sua equipe? Como motivar os colaboradores a quebrarem esse ciclo do sedentarismo?

Quebrando o ciclo vicioso

Chamamos de ciclo pois cada situação, recorre a outra, e o sedentarismo fica cada vez mais em evidência em cada pequena atividade do dia a dia.

Ciclo vicioso saúde fisica

Para quebrar o ciclo, a motivação é o elemento principal.  Mas como fazer?

As fases da mudança de hábito

Segundo os psicólogos Prochaska e Di Clemente, as pessoas passam por essas 5 fases durante uma mudança de hábitos.

  1. Pré-contemplação: neste estágio, a pessoa ainda não vê necessidade de mudar seu comportamento e suas atitudes, não há motivação.
  2. Contemplação: nesta fase, o indivíduo começa a perceber seu problema, mas ainda não se mobiliza para tomar uma atitude de mudança.
  3. Planejamento ou preparação: o indivíduo já tem uma visão mais clara e precisa sobre seu problema, e começa a pensar em possíveis ações, que podem ajudá-lo a se recuperar e superar suas limitações.
  4. Ação: o indivíduo começa a colocar em prática seus esforços de mudança.
  5. Manutenção: manter a prática da ação, por meio de alternativas diferentes e incentivos.

Você, como profissional de Recursos Humanos, pode interagir diretamente nessas fases com os colaboradores, sendo o mediador do incentivo para começar essa mudança.

Imunidade

Além de todos os benefícios que já conhecemos, a prática de atividade física melhora o sistema imunológico e ainda contribui para a redução do absenteísmo. Mas fique atento e mantenha um equilíbrio! Praticar de forma muito intensa debilita o sistema imunológico, assim como de forma muito leve, não surte efeito.

Mas então, qual o papel do RH?

Agora chegou o tão esperado momento: onde você entra em prática? Já vimos por aqui como é importante manter o bem-estar físico e emocional, tanto nosso, quanto dos nossos colegas de trabalho. É na prática de incentivos e de motivação, que geramos resultados positivos em nossa equipe. E este é o papel do RH:

  • Incentivar;
  • Propor ações;
  • Criar programas internos;
  • Acompanhar;
  • Participar.

E como colocá-lo em prática?

  • Promover ginástica laboral online;
  • Palestras online com especialistas;
  • Contribuir com a boa alimentação (programas internos);
  • Cuidado com a ergonomia (home office);
  • Cuide do clima organizacional mesmo à distância;
  • Ofereça benefícios voltados para o bem-estar.

Assim que você pôr em prática essas ações e incentivos na sua empresa, os resultados serão notórios. Equipes mais dispostas e engajadas, e o RH realizando o seu papel mais importante: cuidar.

Gostou do conteúdo e quer saber mais? Assista à palestra completa e saiba tudo sobre como aplicar o incentivo e motivação no seu RH!