8 razões para o gestor financeiro participar da compra do software
Metadados

8 razões para o gestor financeiro participar da compra do software

O gestor financeiro é uma das peças-chaves para o desenvolvimento de qualquer empresa que preze pelo seu crescimento.Ele tem muitas responsabilidades, entre elas a de planejar as finanças, garantir a melhor aplicação do capital e controlar os custos da corporação onde trabalha.

Para garantir que suas responsabilidades sejam cumpridas, é preciso se planejar, se manter atualizado com ferramentas tecnológicas que permitam aprimorar suas tarefas e, sobretudo, saber escolher os melhores produtos para sua empresa e isso inclui a seleção de um software.

Os softwares são ferramentas essenciais do dia a dia. Eles podem realizar, sem muito trabalho e em pouco tempo, as tarefas mais complexas. Pensados para auxiliarem os profissionais das mais diversas áreas, os softwares já estão presentes na maioria das empresas.

Contudo, o processo de escolha desse software, de implementação e do suporte deve ser avaliado com muito cuidado, pois é complexo e exige a participação de várias áreas das empresas. Mas, como escolher a melhor opção? Quem é capaz de avaliar o produto que trará mais resultados a curto prazo à empresa? Custo x benefícios, como calcular? Essas são perguntas frequentes de toda empresa ao iniciar o processo de escolha de um novo software.

Uma ótima opção é contatar o gestor financeiro da empresa. Ele saberá utilizar o ROI nesse processo e escolher a ferramenta que trará os resultados desejados. Quer conhecer as razões para que o gestor financeiro participe da compra? Confira nosso artigo que produzimos especialmente para você!

Por que adquirir um software?

Em um mundo globalizado e cada vez mais conectado, imediato e social, as empresas já perceberam a necessidade de ter uma ferramenta integrada que permita visualizar seus processos internos de forma mais clara, bem como que crie uma relação mais próxima com seus clientes.

Colaboradores, gestores e diretores já notaram que há uma vantagem estratégica de crescimento quando se possui uma ferramenta capaz de agilizar os processos diários, das mais diversas áreas e setores.

Porém, escolher e comprar um software é uma das atividades mais complexas que existe para a empresa. Além das diversas opções de soluções e de fornecedores no mercado, as corporações necessitam avaliar o custo benefício, a usabilidade, a qualidade, o suporte, entre outros quesitos. Assim, o projeto de implementação de um software se torna grandioso e é preciso envolver gestores, colaboradores e a direção.

Nesse sentido, surge a necessidade de um gestor financeiro , com sua expertise em economia, ajudar a validar a compra. Confira o que ele deverá avaliar no processo:

1. ROI

O Retorno sobre o Investimento (ROI) é uma importante ferramenta de análise de investimentos, capaz de identificar retornos financeiros. Ou seja, o gerente financeiro fará um estudo sobre o investimento (custo do software), as demandas que ele irá suprimir e os investimentos que até então são necessários para atender essas demandas, como mão de obra, horas extras, adicionais, remuneração, tempo de trabalho, entre outros. Com todos esses dados em mãos, ele será capaz de identificar em quanto tempo a empresa terá retorno sobre o investimento a ser realizado.

Essa é uma atividade muito comum que os investidores costumam fazer para dar andamento ao processo de investimento. Ótima dica, não é mesmo?

2. Integrações

A possibilidade do software se integrar a outros sistemas é uma grande vantagem. O gerente financeiro, por exemplo, saberá que a integração contábil e financeira trará muitos benefícios para sua equipe momento das transferências automáticas.

Com a integração, o tempo despendido para executar tarefas ligadas ao banco, por exemplo, são suprimidas e o gestor pode tornar sua equipe mais estratégica, fundamental para atravessar períodos de crise.

3. Agilidade e confiabilidade

Outra importante razão para que o gestor financeiro auxilie na escolha de um novo software é sua capacidade de analisar se os procedimentos executados pelo sistema são seguros e ágeis, isto é, se ele realiza os processos com assertividade.

De nada adiantaria ter um software que ao finalizar um processo, como o fechamento da folha de pagamento, por exemplo, fosse necessário conferir tudo novamente, gerando retrabalho. Assim, o gestor financeiro, responsável pelos recursos da empresa, será capaz de observar esses detalhes fundamentais.

4. Implementação

No momento da implementação do sistema, algumas empresas do ramo estipulam um período de instalação do software muito abaixo do que será necessário. E isso é um cuidado extremamente importante, visto que o tempo para a implementação está diretamente ligado com as horas de trabalho da equipe da empresa. Ou seja, o trabalho em conjunto demandará o apoio dos colaboradores na migração dos dados, informações adicionais, entre outros. Esse tempo também deverá ser contado como valor a ser inserido no ROI.

Por isso, o gestor financeiro poderá observar, junto ao mercado, em outras empresas que já possuem o sistema, se realmente o período estipulado foi suficiente para a implementação.

5. Reputação da marca

Averiguar a reputação da marca do sistema escolhido é outra razão pela qual o gerente financeiro é fundamental nesse processo. Atento ao mercado e com muitos contatos, saberá facilmente se a empresa escolhida possui a qualidade que promete.

Outra opção é pesquisar na internet, em sites especializados em reputação da marca, como o reclame aqui e o elogie aqui, além das próprias redes sociais.

6. Customização

Alguns softwares permitem alterações em suas funcionalidades, realizadas nas configurações dos sistemas, sem precisar fazer mudanças na programação. Essa possibilidade personaliza as funções do sistema de acordo com as necessidades da empresa, isto é, customiza particularidades.

Isso permite que os erros sejam minimizados e que o sistema escolhido atenda ao maior número possível de necessidades da empresa.

7. Escalabilidade

O gestor financeiro é a pessoa mais adequada para avaliar a escalabilidade do software, isso porque o sistema escolhido deverá acompanhar o crescimento da empresa, no sentido da complexidade dos processos. Ou seja, ainda que algumas funcionalidades não sejam utilizadas no primeiro momento, poderão vir a ser, posteriormente. Assim, o gestor financeiro, com a visão de investimento da empresa, conseguirá analisar mais esse detalhe tão importante para a contratação do software.

8. Suporte

Tão importante quanto a boa escolha do software, é saber a empresa que dará o melhor suporte após a implementação. Isso envolve custo, investimento financeiro. Então, o gestor precisará ficar atento aos serviços oferecidos como suporte aos seus colaboradores. Os valores investidos nesse atendimento, deverá ser incluído no ROI.