7 maiores erros cometidos no RH hospitalar
Metadados

7 maiores erros cometidos no RH hospitalar

Quem nunca imaginou a correria que deve ser o entra e sai diário de colaboradores de um hospital?

E não especificamente ou somente se referindo à rotatividade, mas às diversas escalas, necessidade de horas extras, divisão de equipes por setores, cumprimento efetivo dos horários, das obrigações legais…. Por tudo isso, deduzimos que o RH hospitalar provavelmente seja um ambiente um tanto quanto tumultuado, certo?

E, em meio a este tumulto, a gestão hospitalar exige ainda mais humanidade, compaixão e paciência, afinal, além das dezenas de colaboradores, circulam ali, milhares de pacientes, familiares e amigos que precisam de atenção e de um olhar mais sensível.

Inseridos nesta realidade estão os gestores hospitalares, os responsáveis por administrar esse vai e vem sem afetar a rotina dos colaboradores ou dos pacientes. Já foi possível perceber que a vida do RH hospitalar é muito mais agitada do que pensávamos, não é mesmo?!

E, pensando melhor, isso deve ser uma loucura ainda maior. São muitos processos, informações, decisões e, tudo isso, entendendo de pessoas, de seres humanos, de vida.

Você é gestor de Recursos Humanos ou faz parte do RH de um pequeno, médio ou grande hospital e essa correria diária tem tirado seu sono? Não está conseguindo controlar os processos e não tem segurança no cumprimento da legislação e das obrigatoriedades? Então entenda se você está cometendo um destes 7 erros do RH hospitalar e saiba como evitar!

O RH hospitalar

A gestão hospitalar pode ser considerada um dos modelos de gestão mais complexos, ainda que agir estrategicamente seja fundamental para sustentabilidade de hospitais a médio e longo prazo. Neste sentido, o trabalho do gestor não dá margem a erros ou ao desencontro de informações. Mas tamanha complexidade não é de hoje. Há anos ela existe em meio aos corredores de milhares de hospitais.

A fim de facilitar a gestão das informações, a tecnologia focada no segmento hospitalar tem ajudado diversos hospitais e empresas da área da saúde a organizar o dia a dia, gerindo todos os processos com assertividade. E foi a tecnologia também que solucionou 5 problemas da gestão hospitalar e que talvez você ainda não saiba. Quer descobrir?

Com a ajuda da tecnologia, gestores de RH são capazes de tomar decisões baseadas em dados, relatórios e indicadores reais. Isto é, gestores ganham ferramentas que facilitam administrar essa complexidade, tornando o trabalho de dezenas de colaboradores mais assertivos.

Contudo, quando essa tecnologia não é utilizada da melhor forma, alguns erros do RH hospitalar insistem em continuar e se você não quer prejudicar sua gestão, o ideal é entender como evitá-los. Confira:

  1. Não ter o controle dos dados

É comum nos depararmos com pilhas e mais pilhas de papéis e de documentos sobre as mesas dos profissionais de Recursos Humanos que ainda não automatizaram seus processos. O que muitos deles não sabem é que essa prática está entre as que mais ocasionam erros no dia a dia dos setores de RH, afinal, o desencontro de informações é natural, já que não há uma integração de todos os dados. Assim, é inevitável que os colaboradores percam prazos, esqueçam obrigatoriedades e acabem se desgastando ainda mais.

A solução para problemas como estes, é o controle de dados e processos através da automatização. No segmento hospitalar, por exemplo, é possível controlar as escalas de trabalhos de acordo com a necessidade de cada setor ou profissional. Um exemplo é a escala 12×36, em que em dias de feriados, o próprio sistema é capaz de identificar as horas extras realizadas, evitando cálculos manuais e possíveis inconsistências.

  1. Deixar o eSocial para a última hora

Outro grande erro que está sendo cometido no RH hospitalar é deixar o eSocial para a última hora. Evidentemente que as empresas que não se adequarem dentro do prazo estabelecido, acabarão sendo multadas. Então, o ideal é buscar apoio especializado, um software para o gerenciamento dessas informações e, claro, conhecimento acerca desta nova obrigatoriedade.

Você sabia, por exemplo, que o hospital é responsável por controlar os treinamentos previstos nas Normas Regulamentadoras e os eventos de saúde e segurança do trabalhador? Você, como RH, sabe como fazer isso? Estima-se que 60% das informações exigidas tenham origem no setor de Recursos Humanos e apenas 40% de outros departamentos. 

  1. Manter indicadores em planilhas

Tomar decisões não é uma atividade fácil, a não ser que o gestor tenha em mãos indicadores em tempo real. Assim, os dados são capazes de revelar qual a melhor escolha a ser feita naquele determinado momento.

Normalmente, empresas controlam seus indicadores em planilhas, o que não é diferente com o segmento hospitalar. Contudo, dados em planilhas tornam-se defasados em questões de horas. Não é possível ter assertividade nas tomadas de decisões baseadas em informações que já estão antiquadas. Por isso, utilizar-se de ferramentas que possibilitam averiguar a real situação da empresa é um passo fundamental para tornar qualquer gestão eficaz.

Se você, gestor de RH, ainda não possui um sistema de indicadores em tempo real, você não sabe a real situação de sua gestão. Fique atento e procure uma alternativa o quanto antes. Esta, abaixo, é uma interface de um software de indicadores de RH. Já imaginou ter tudo isso em mãos e até no celular?

  1. Treinamento e Desenvolvimento que não atendem às NRs

Todo profissional de RH sabe – ou deveria saber – que o treinamento e desenvolvimento dos colaboradores de um hospital é obrigatório devido às Normas Regulamentadoras, as NRs. Não ter um sistema de treinamento e desenvolvimento que atenda a essas exigências é um dos maiores erros do RH hospitalar. Ainda assim, muitos não se dão conta de que esses processos podem ser personalizados de acordo com a necessidade da empresa, por cargos ou funções, por exemplo.

Por meio de uma ferramenta adequada, é possível ter o controle orçamentário dos treinamentos, identificando o retorno do investimento (ROI), além de emitir relatórios e avaliar a eficácia de cada investimento. Assim, é possível alinhar os treinamentos de acordo com as necessidades estratégicas da empresa.

Com esta demanda suprimida, a gestão passa a contar com profissionais mais desenvolvidos, afinal de contas, investimento em conhecimento gera desenvolvimento, concorda?

  1. Dificuldade em gerar relatórios

 Outro erro muito comum no RH hospitalar é não ter acesso a relatórios ágeis e personalizados. Esse tipo de falha engessa a tomada de decisão e pode trazer grandes riscos à corporação.

Para que uma gestão hospitalar seja eficaz, é fundamental poder gerar relatórios de acordo com as necessidades. Isto é, possuir em um sistema automatizado todas as informações necessárias para reuni-las em um único documento, tendo, ainda opções de relatórios gerados por meio de filtros que aumentam as possibilidades de análises, troca de informações entre setores e a visão geral do andamento dos processos aos gestores.

Já imaginou ter relatórios em questão de segundos, sem precisar despender horas para organizar? Por meio da automatização dos processos, esse tipo de relatório é uma consequência.

  1. Falha na comunicação interna e automação dos procedimentos

 Conquistar uma comunicação interna integrada é um grande desafio para empresas com muitos colaboradores, por isso, a dificuldade de comunicação está entre os maiores erros do RH hospitalar.

Para reverter essa falha interna, ter uma ferramenta de comunicação com workflow e níveis de acessos é uma facilidade para gestores que entendem a importância da comunicação entre colaboradores, gestores e empresa.

Com esta ferramenta, é possível realizar diversas atividades que até então eram executadas junto ao setor de RH, como a solicitação de folgas, de horas extras, espelho do ponto, consulta à folha de pagamento, entre outros. Com o workflow, gestores podem autorizar diretamente as solicitações, sem a necessidade de circulação de papéis entre setores. É tudo automático!

  1. Recrutamento e Seleção ineficiente

A rotatividade é um indicador de RH preocupante para qualquer gestor, especialmente para empresas com grande número de colaboradores, como hospitais. E, ainda que um processo assertivo aumente as chances de construir uma equipe mais robusta e qualificada, o recrutamento e seleção ineficiente continua entre os principais erros cometidos pelo RH hospitalar. Por quê?

Porque muitas empresas ainda não escolheram uma ferramenta adequada para qualificar o processo. Somente um software desenvolvido par esta finalidade poderá mudar o cenário. Já existem softwares de recrutamento e seleção com opções de filtros por especialidade, por exemplo. Assim, o recrutador poderá selecionar os currículos cadastrados de forma online e por especificações, como idade, formação, cidade, entre outros. É a facilidade da tecnologia unida à gestão hospitalar.

E então, percebeu como é possível minimizar a complexidade do dia a dia de um hospital? A Metadados atende empresas de todos os portes e segmentos, oferendo além de todos os softwares citados acima, outras soluções diárias para os processos internos. Quer conhecer 5 problemas da gestão hospitalar que já têm solução e que você ainda não sabia? Confira aqui!

Infográfico 5 problemas da gestão hospitalar que causam dores de cabeça