Liderança: o que um gerente de RH deve fazer pela sua gestão? - Blog do RH
Metadados

Liderança: o que um gerente de RH deve fazer pela sua gestão?

Gerenciar pessoas não é uma função simples, por isso, exige muito conhecimento e capacidade por parte do profissional.  Podemos afirmar ainda que para conseguir gerir uma equipe é necessário possuir habilidades e competências extras. Porém, é preciso deixar claro que gerir é uma habilidade e liderar é uma competência. Assim, nem todo gestor é líder e nem todo líder é gestor.

Ainda assim, toda empresa necessita de um ou mais líderes para coordenar as equipes. O líder é a referência para os demais colaboradores. É ele que promoverá as grandes transformações, buscará inovação, engajamento e trará resultados efetivos à empresa.

Mas, para um profissional se tornar um líder, ele precisa se desenvolver e se destacar no ambiente de trabalho. O que poucos sabem é que o próprio gestor de Recursos Humanos, responsável por recrutar, treinar e desenvolver talentos, entre tantas outras funções, pode ser o profissional mais adequado para identificar o potencial de colaboradores que podem ser ótimos líderes.

Pensando nisso, elaboramos este artigo que trará dicas claras e objetivas ao gestor de RH para que, como um bom líder que é, possa desenvolver as lideranças e potencializar o crescimento da corporação.

É gerente de RH e ficou interessado em descobrir como essa prática de gestão pode alavancar o crescimento da sua empresa? Continue lendo este post produzido pela Metadados — empresa que desenvolve e oferece sistema para a gestão de RH.

Afinal, o que é ser um líder?

O líder tem características bem particulares e é conhecido por motivar sua equipe, por se considerar membro dela, por inspirar com exemplos e por valorizar a importância das habilidades de cada profissional. O líder não visa apenas os resultados, mas se preocupa com o caminho que deverá ser percorrido para se chegar lá.

Alguns dos líderes tem vocação para o cargo. São líderes natos. Outros, precisam ser lapidados. Mas todos devem possuir iniciativa, capacidade de comunicação e estar sempre à disposição da equipe.

Contudo, a liderança é algo que necessita de aperfeiçoamento e desenvolvimento. Então, é nesse momento que o profissional ou gestor de Recursos Humanos se torna essencial. Mas como?

Identificando o perfil de liderança

Entre os diversos perfis de colaboradores, identificar os que possuem maior potencial para se tornarem líderes é uma tarefa complicada. O importante nesta identificação é substituir uma definição intuitiva por fatores baseados em indicadores preditivos de potencial para liderar.

Para facilitar esse processo, listamos 6 características e competências básicas que são fundamentais para todo profissional que deseja ser um verdadeiro líder. Assim, será mais fácil para diferenciá-lo em meio aos demais. Confira:

1. Ser proativo

O colaborador que é engajado com o propósito da empresa está sempre em busca de conhecimento, para que junto do seu líder consiga antecipar soluções para possíveis problemas do negócio da corporação. Nesse sentido, o colaborador se torna proativo, tem visão do todo, age para que adversidades sejam evitadas e realiza atividades além das suas obrigações, mostrando-se interessado em promover o crescimento da empresa.

Ser proativo é requisito fundamental para que o colaborador seja notado dentre os demais colegas da empresa. Assim, seu líder e/ou o profissional de RH, poderão observá-lo e iniciar um desenvolvimento comportamental, para também torná-lo um líder.

2. Ter responsabilidade

Responsabilidade é uma característica que todos os profissionais que são ou que desejam ser líderes precisam ter. Ser responsável é respeitar os prazos, cumprir com o que foi acordado, exercer suas obrigações com eficiência, entre outras tarefas.

Assim, o profissional se torna um exemplo de responsabilidade, fundamental para líderes, pois bons líderes ensinam pelo exemplo.

3. Engajamento

Para todo colaborador, receber incentivos de seus líderes é fundamental para torná-lo engajado. Por isso, o profissional que anseia se tornar um líder e ser visto pelos gestores, precisa entender que a maneira de engajar os outros varia de acordo com a composição da equipe e do ramo da atuação, porque a motivação de um jovem no início de carreira pode ser diferente da motivação de um profissional com 50 anos de idade, por exemplo.

Assim, o profissional engajado tem uma grande vantagem sobre os demais colegas, visto que por ser engajado, saberá enga

anuncio lateral

jar sua equipe para atingir os resultados. Engajamento, no mundo corporativo, é sinônimo de produtividade.

4. Resiliência

Um colaborador resiliente tem a capacidade de enfrentar, aprender, crescer e amadurecer com as adversidades, dificuldades e conflitos. Assim, saber se adaptar é ter habilidade para mudar. Ou seja, o profissional que esteja seguindo uma linha de trabalho,

que já se familiarizou com ela, poderá, a qualquer momento mudar e isso não deve representar um problema para ele. É preciso aprender a mudar para atingir o resultado em menos tempo.

Por isso, o colaborador que possui a facilidade de se adaptar às mudanças, pode se destacar como um profissional com grande potencial para a liderança.

5. Saber lidar com as incertezas

 O mundo corporativo é incerto. Há crises, mudanças, metas que podem ou não serem alcançadas, investimentos inesperados, entre tantas outras incertezas. Nesse sentido, saber lidar com elas é essencial para o profissional que possui características de um líder.

Assim, estar nessa “roda gigante” de acertos e erros, exige do profissional maior controle para que sempre que surjam dificuldades e incertezas em seu caminho, esteja preparado para lidar com elas.

6. Ser receptivo a feedbacks

Dar feedbacks (respostas/retornos) aos colaboradores é uma atitude de todo líder. Isso ajuda o profissional a saber se está no caminho certo ou se precisa mudar. Então, percebe-se que receber esses feedbacks de forma receptiva e estar disposto a mudar, se necessário, é uma característica de um colaborador que pode se tornar um líder.

Considerações

Ser um líder envolve muitas questões. Não basta apenas preencher as características citadas acima, é preciso ser mais, ir além, fazer a diferença. Contudo, possuir esses atributos fazem com que o colaborador consiga se destacar dentre os demais, se sobressaindo na visão dos gestores e podendo receber um treinamento específico para se desenvolver melhor dentro da corporação.

Assim, todos saem ganhando. A empresa por preparar um profissional para assumir um cargo de liderança, o profissional por se aperfeiçoar e crescer junto da instituição, e aos gestores por enriquecerem sua equipe.

E então, gostou do nosso artigo sobre liderança? Quer continuar atualizado sobre Recursos Humanos? Siga nossas redes sociais e acompanhe nossos conteúdos. Você vai gostar!