5 competências que todo profissional de RH precisa desenvolver

Descubra quais são elas e se você precisa se aperfeiçoar.

Se cada segunda-feira já deixa a impressão de um recomeço, cada mês a sensação é de que uma nova jornada se inicia. O que dizer, então, de um novo ano? Pode ser sinônimo de novos conhecimentos, novas vivências, novas competências profissionais e, consequentemente, novas oportunidades.

Para que um recomeço não seja o início de um disco riscado, é preciso também renovar. “Está bom do jeito que está” é uma desculpa para quem quer ser somente espectador das mudanças ao invés de vivenciá-las. É a fórmula perfeita para congelar no tempo e deixar que tudo e todos ao seu redor – menos você – evoluam. Mudanças são fundamentais. Seguir com estratégias que funcionam é necessário, mas novas ideias também precisam surgir.

No âmbito dos Recursos Humanos, não é diferente. O setor da empresa, que possui um papel estratégico, é o responsável por dar sustentação aos planos e ideais da companhia na gestão do seu principal recurso: as pessoas. Para lidar diretamente com o público, portanto, o profissional de RH precisa se desenvolver, mudar e evoluir constantemente. Por isso, nós, da Metadados – empresa especializada Sistema para a gestão de Recursos Humanos – destacamos 5 competências que todo profissional de RH precisa ter e desenvolver ainda em 2020. Confira!

1. Capacidade Analítica

Por mais que o RH esteja relacionado diretamente às ciências humanas, o profissional da área também precisa saber lidar com números, dados e informações. Contudo, é a da “parte humana” desses números que estamos falando. Os responsáveis pela gestão de pessoas precisam fazer análises, diagnósticos, recomendações e tomar decisões que gerem impactos nas organizações.

Um RH não pode esperar que uma crise aconteça para começar a questionar o plano estratégico da empresa. Ele deve se perguntar constantemente sobre as políticas estabelecidas e estratégias definidas pelo setor na companhia. Essas perguntas vão além de um exercício de pensamento analítico: elas indicam se há necessidade de resolução de problemas.

Os profissionais da área devem ter a capacidade de estarem constantemente analisando todos os pontos que interferem diretamente no negócio, tanto internamente, nas equipes, quanto externamente, tendo visão de mercado.

2. Pensamento Sistêmico

Ter uma visão sistêmica significa ter a habilidade de compreender os sistemas tendo conhecimento do todo, sabendo tratar as relações de interdependência que formam a organização. Quem possui pensamento sistêmico analisa as situações de uma maneira mais ampla e conectada. Para desenvolver essa visão e esse pensamento, é preciso introduzi-los na rotina de modo que se torne algo natural nas ações.

Quando for necessário tomar uma decisão relacionada ao RH, é preciso que o profissional avalie não apenas a sua necessidade imediata, mas o impacto e as consequências que a sua atitude vão gerar para todas as outras áreas. Ou seja, além de examinar cada setor individualmente, também é fundamental ver como se dá a interação entre eles.

Ao observar não somente o óbvio e o imediato, mas também o reflexo das ações em diferentes níveis, o profissional de RH se torna capaz de projetar também tendências para o futuro!

3. Resiliência

No mundo da física, resiliência é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. Adaptando o termo para o ser humano, é a capacidade de se adequar às mudanças e de superar períodos difíceis sem se deixar afetar por eles.

O RH de uma empresa encara inúmeros desafios que exigem resiliência: a transformação de cunho operacional para o estratégico, a parceria com outros setores da companhia, a intensa rotatividade de funcionários em determinados períodos, o surgimento de inovações que devem ser incorporadas com agilidade…. Se a equipe de RH não for resiliente para lidar com estas demandas, toda a companhia pode ser prejudicada.

A resiliência demonstra se uma pessoa sabe ou não trabalhar bem sob pressão. É mais que educação, experiência, treinamento. O nível de resiliência de uma pessoa determina quem terá sucesso e quem se perderá pelo caminho. Quanto mais resiliente é uma pessoa, mais forte e preparada ela estará para lidar com possíveis adversidades.

Todavia, diferentemente dos corpos do mundo da física, uma pessoa resiliente geralmente não retorna à sua “forma original”. Ela vê o lado positivo da situação, cresce e evolui com isso, se tornando cada vez mais capacitada e profissional.

4. Conhecimento tecnológico

Atualmente, é comum algumas pessoas se referirem à tecnologia como a responsável pela substituição de pessoas por máquinas no mercado de trabalho. No RH, alguns profissionais possuem esse pensamento, o que não somente os afasta de uma poderosa aliada como também os impede de desenvolver uma das principais competências que as pessoas dessa área devem ter: o conhecimento tecnológico.

Saber observar os desafios e já conseguir enxergar uma solução tecnológica para resolvê-lo é critério que as lideranças utilizam para selecionar e promover profissionais de RH. Os responsáveis pela gestão de pessoas precisam saber utilizar a tecnologia a favor do setor, tornando-o muito mais estratégico à organização e, de sobra, tendo tempo para, definitivamente, se dedicar às pessoas.

PLANEJAMENTO_RH

5. Capacidade de se reinventar

Como já falamos no início deste artigo, um novo ano pode ser sinônimo de novas oportunidades, desde que o profissional não caia na zona de conforto e se reinvente, traga novas ideias e não tenha medo de mudanças. Esta competência está presente em todas as outras.

Com capacidade analítica, o profissional não espera que uma crise aconteça e reinventa uma solução. Para ter um pensamento sistêmico que não observa somente o óbvio e o imediato, é preciso abrir a mente para enxergar o todo. Com resiliência, o profissional supera as adversidades, cresce, evolui e se reinventa. Conseguir ver na modernidade uma aliada, e não uma inimiga, demonstra tanto conhecimento tecnológico quanto capacidade de se reinventar.

Contudo, essa competência, que precisa marcar presença em todas as outras, não pode aparecer somente no início de cada um. Como também já falamos no início deste artigo, cada mês, cada segunda-feira e cada novo dia é uma oportunidade para se reinventar.

E então, quais destas competências ainda faltam para seu time de RH? Quer saber qual o nível da maturidade da área? Faça o teste aqui e descubra!