Remuneração estratégica: vale a pena adotar esse modelo na empresa?

A remuneração estratégica é um esquema de pagamento na empresa em que os profissionais recebem adicionais e compensações financeiras conforme seu desempenho. Ela ocorre a partir de comissões, premiações, participação nos lucros ou de outras formas.

Esse sistema de pagamento traz muitos pontos positivos para a organização, podendo, quando bem estruturado, auxiliar no aumento da produtividade e da performance dos colaboradores; mas, para implementá-lo, você deve ficar atento a várias questões. Ficou curioso? Confira nosso post produzido pela Metadados — empresa que desenvolve sistema para a gestão de RH — e saiba mais!

O que é a remuneração estratégica?

Essa é uma forma de pagamento em que, além do salário convencional, o profissional recebe um conjunto de outras compensações por sua produtividade. Benefícios adicionais, comissões, participação nos lucros e resultados e outros tipos de incentivos são alguns exemplos de proventos que caracterizam a remuneração estratégica.

Como funciona?

Normalmente, entende-se que a remuneração estratégica pode ser composta por uma porção estável e uma que varia. A parte fixa é aquela que inclui o salário padrão do cargo e os benefícios, usuais da empresa, como auxílio alimentação e plano de saúde. Já a porção variável é aquela em que os pagamentos são proporcionais à produtividade e aos resultados alcançados, incluindo premiações e comissão, por exemplo.

Qual é a importância de uma remuneração estratégica na empresa?

Quando adequadamente orientado para os objetivos da empresa e estruturado de forma correta, esse tipo de pagamento pode ser uma maneira de promover o aumento da produtividade e do engajamento dos colaboradores, elevando os níveis de motivação. Também pode ser observado como efeito positivo a busca, por parte dos profissionais, pela melhoria contínua. Ou seja, o êxito na implementação de um consistente programa de remuneração estratégica pode trazer bons resultados para a empresa e para a sua equipe.

Como os colaboradores percebem esse modelo de remuneração?

Cada perfil de profissional vai reagir de uma forma à remuneração estratégica. Colaboradores que lidam bem com situações de pressão e que são mais competitivos, ativos e dinâmicos tendem a se adaptar bem ao esquema de pagamento estratégico. Já profissionais mais introspectivos, que não toleram tanta pressão e que são mais rígidos podem apresentar mais dificuldades com este modelo.

Por isso, você deve conhecer bem o time e buscar trabalhar as questões e dificuldades que ele tiver para se adaptarem à compensação financeira por resultado.

Quais são as vantagens da remuneração estratégica?

Para o time, a remuneração estratégica é uma forma de maximizar os lucros individuais e melhorar as condições de vida com uma complementação de renda. A equipe se desenvolve mais, otimizando seu rendimento, lidando melhor com clientes e trabalhando com mais qualidade. A melhora na área financeira ajuda o profissional a ficar mais tranquilo e a ver que seus esforços são recompensados.

Para a organização, os benefícios são o crescimento dos lucros e o aperfeiçoamento da performance da equipe, que fica mais motivada e empenhada. A remuneração estratégica também pode ser uma forma de atrair talentos para a organização.

Quais são os pontos negativos?

Se a remuneração estratégica não for implementada com cuidado, a competição entre os colaboradores pode aumentar, deteriorando as relações e o clima organizacional. Além disso, o aumento do poder aquisitivo não é tudo de que o profissional precisa para ter qualidade de vida e uma carreira satisfatória. Se não houver bem-estar no trabalho, com um clima cooperativo e com perspectivas de crescimento pessoal e profissional, a compensação financeira por si só não ajuda a reter os talentos.

Outra questão para a empresa é que a remuneração estratégica pode gerar saltos de desempenho, mas, se ela for retirada, o esforço e a motivação voltam a cair. Por isso, é importante implementar a compensação financeira junto com políticas promotoras de qualidade de vida e buscar manter a estratégia a longo prazo.

 

Que cuidados são importantes para se aplicar a remuneração estratégica?

Esse modelo de remuneração oferece muitas vantagens para o colaborador e a empresa, mas é preciso tomar cuidado para que o funcionário não comece a trabalhar excessivamente. Dessa maneira, aos poucos ele pode deixar sua vida social e familiar em segundo plano, ignorar seus descansos, pausas e alimentação. Com esse ritmo, ele pode adoecer ou ficar estressado.

Esse tipo de situação pode ocorrer com vários profissionais, o que leva à queda de qualidade de vida, conflitos, problemas no clima organizacional e redução da eficácia e da produtividade.

Para evitar esse tipo de problema, como já foi mencionado, é importante conciliar a remuneração estratégica com políticas de bem-estar na empresa, focando no desenvolvimento de pessoas e no melhoramento das relações entre os colegas de trabalho. Você também deve incentivar os profissionais a respeitarem seus horários e as pausas para alimentação e descanso.

Além disso, é importante ter em mente que as pessoas tendem a orientar as suas atitudes tendo como referência a maneira como são avaliadas, portanto tenha bastante cuidado no momento de estabelecer os parâmetros que servirão de base para premiar o desempenho.

Quais são os desafios da gestão de remunerações estratégicas?

A administração das remunerações estratégicas traz alguns desafios para os gestores do RH. É preciso se preocupar em conciliar a compensação financeira com políticas de qualidade de vida para os profissionais — podem ser benefícios, ginástica laboral e momentos de convivência, por exemplo. Além disso, também é necessário ficar de olho para que os colaboradores cumpram suas pausas e seus horários de refeição e para que não excedam suas jornadas de trabalho.

Outro desafio é que os profissionais de recursos humanos precisam estudar a equipe para conhecer o perfil de cada colaborador e entender se o time se adapta bem à remuneração estratégica. Ainda, é preciso que, ao aplicar o pagamento com compensação financeira, a empresa mantenha esse esquema a longo prazo, para que o desempenho e a produtividade do time não caiam.

A remuneração estratégica é um instrumento para potencializar a produtividade e a performance dos colaboradores. Baseada em um pagamento com uma porção fixa e uma variável de acordo com o mérito do colaborador, ela pode motivar a equipe a produzir mais e com mais qualidade. Entretanto, você deve ter cuidado para aplicar a compensação financeira, garantindo que ela seja contínua e que o bem-estar da equipe também seja uma prioridade.

Assim, pode valer a pena investir nesse modelo de remuneração, desde que ele seja aplicado com bons estudos da organização e em conjunto com políticas de qualidade de vida.

E então, gostou de conhecer mais sobre a remuneração estratégica? Assine a nossa newsletter e receba mais informações!